marketing comportamental fluxo

Marketing comportamental, você sabe o que é?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

marketing comportamental fluxo

 

Imagine se você pudesse se comunicar com seus clientes e prospects como indivíduos reais, prendendo centenas, milhares, até mesmo milhões de diálogos on-line exclusivos com todos? 

Falar com eles de uma forma direta que iria de encontro com os seus interesses pessoais, ações e preferências? E fazê-lo de uma forma escalável e dentro de restrições orçamentais razoáveis?

Então … é o que o Marketing comportamental faz! Em termos simples de matemática, automação de marketing + comportamento de um indivíduo = marketing comportamental

Somando os dois elementos em conjunto abre um reino completamente novo para os comerciantes, que com estudos repetidos mostram taxas mais elevadas de cliques e conversões em e-mails desencadeando ações beneficiárias em oposição a um lote genérico mensagens.

Ao contrário do marketing comum onde se direciona um mesma mensagem para um grande número de pessoas e fica esperando o resultado, e que a grande maioria nem vai abri-las, para depois mudar de estratégia, o marketing comportamental usa mensagens online onde pesquisa o gostos do usuário para adaptar a mensagem diretamente para ele.

A segmentação comportamental usa análise da web, aplicações informáticas e cookies, a navegação e histórico de pesquisa e endereços de IP, para criar perfis de usuários consumidores individuais. Com essa informação você direciona seus anúncios, e terá um conteúdo relevante para seus possíveis clientes e ter um maior volume de vendas.

Para os comerciantes, isto significa ir além de “audiências” e “segmentos”, como já é tradicionalmente conhecido deles. 

É importante reconhecer, porém, que você precisa de ambos os aspectos de marketing comportamental que trabalharão em conjunto para ser totalmente bem sucedidos. Se você tiver apenas um ou o outro, você vai ficar com uma equação de marketing que é algo parecido como isto:

Automação – comportamento = mensagens não desejadas que não têm relevância.

Comportamento – automação = toneladas de dados sem nenhuma maneira de promover alguma comunicação.

Claramente, essas não são fórmulas para a construção de relacionamentos e receitas. Coloque automação e comportamento em conjunto e você vai ser capaz de envolver os clientes e prospects como nunca antes. Esse é o poder do marketing comportamental.

Implementar o marketing comportamental significa ir além da tradicional “lista de e-mail” para um sistema de marketing integrado, ancorado por um banco de dados central, que lhe permite reconhecer um indivíduo e unir os seus comportamentos através de uma variedade de canais e plataformas:

E-mail: Será que o indivíduo abriu ou clicou em um determinado e-mail? Há quanto tempo o contato interage com a sua mensagem de e-mail (há dois dias, duas semanas ou dois meses atrás)?

Social: Será que o prospect ou cliente preencheu um formulário no Facebook ou chegam ao seu site através do Twitter? Compartilhou um dos seus e-mails? Comentou sobre um post no seu site?

Website: Será que o indivíduo visita o seu site ou blog? Será que ele ou ela baixa algo ou assisti a um vídeo? (Nota: Nós não estamos falando sobre Web analytics anônimos aqui – nós estamos usando indivíduos específicos com comportamentos específicos através de recursos de rastreamento da Web.)

Móvel / Local: Será que um cliente já usou um código QR ​​em sua loja, se inscreveu no seu serviço de mensagem de texto ou já fez check-in via Foursquare em seu evento ou ponto de venda?

CRM: Foi uma oportunidade aberta, ou uma perspectiva contactada por um vendedor?

Dados de tabela relacional: Será que um indivíduo entrou em contato com sua central de atendimento?

Respondendo a Comportamentos via e-mail e além.
Você não tem que ser um génio da matemática para ver que, com todas essas variáveis ​​e o poder da automação de marketing, você poderia estabelecer conjuntos de regras que iria enviar prospects e clientes para dezenas, até centenas de caminhos diferentes de mensagens com base em suas ações exclusivas e atributos.

Eu sei o que você está pensando: Isso é um monte de comportamentos, e eu estou me oprimindo só de pensar em enfrentar todo esse potencial. 

A boa notícia é que você não tem que lidar com tudo de uma vez, você pode fazer mudanças incrementais, mudanças para construir gradualmente seu banco de dados e aumentar a complexidade de suas campanhas.

E enquanto você pode, e deve,alavancar qualquer um desses comportamentos de dirigir mensagens de e-mail altamente relevantes, o marketing comportamental engloba um conjunto muito mais amplo de respostas. 

Além de enviar um e-mail desencadeado por um comportamento, você poderia facilmente alertar um representante de vendas, nomes de rota para um call center, agendar uma consulta, dinamicamente gerar conteúdo individualizado no seu site ou página social e reconhecer o seu contato em todos os de seus dispositivos Web (laptop, smartphone, iPad).

“Este é apenas um da série de artigos sobre marketing comportamental que terá como sequencia mais dois artigos onde falarei sobre as cinco principiais etapas para a implementação de marketing e a criação de regras para negócios orientados. Fique ligado nesses próximos posts”.

Vou dar um exemplo bem básico de marketing comportamental e tenho certeza que você vai reconhecer na hora.

Já reparou que geralmente suas redes sociais sempre apresentam anúncios relacionados a alguma pesquisa que você andou fazendo em algum outro site? Por exemplo já pesquisou sapatos em uma loja virtual e depois no seu face book fica aparecendo anúncios de sapatos toda hora?  Isso é marketing comportamental.

 Anúncios destinados aos consumidores para assistir vídeos do YouTube também são frequentemente o resultado de marketing comportamental. Localização de IP, e até mesmo comentários são levados em consideração ao apresentar o anúncio “certo” para os seus gostos e localização.

Dentro do marketing comportamental temos a segmentação e a rede de segmentação.

Segmentação comportamental incide sobre usuários individuais. Ao analisar as respostas do usuário e dados demográficos, os anúncios podem ser alvo de necessidades e interesses de cada pessoa.

Rede de segmentação comportamental, por outro lado, se concentra mais em usuários típicos. Por exemplo, um visitante de um site de roupas de futebol provavelmente é do sexo masculino, e a publicidade (e sua apresentação) irá, assim, ser orientada para um público masculino. 

Segmentação comportamental poderia ser potencialmente utilizados na soma, para identificar melhor as preferências de cada usuário. veja a definição da wikipedia sobre segmentação de mercado.

Quem emprega marketing comportamental?

A maioria dos varejistas online e sites de mídia social já usam o marketing comportamental.

No entanto, o marketing comportamental é utilizado não só para “vender coisas.” Ao direcionar anúncios para necessidades específicas, as empresas também podem fornecer produtos e serviços que não vão apenas encher armários dos consumidores, mas melhorar a sua qualidade de vida. 

Por exemplo, uma empresa farmacêutica pode criar e implementar publicidade que incentiva as pessoas a usar e continuar a tomar um novo medicamento contra o câncer ou hiperatividade.

Porque o marketing comportamental é extremamente segmentado? Porque essa estratégia não funciona bem com produtos que apelam para um público mais geral. 

Além disso, por causa dos dados que estão sendo usados, as questões de privacidade e legislação para abordar essas questões afetarão diretamente as técnicas utilizadas pelos profissionais de marketing. 

No entanto, quando usado corretamente, a segmentação comportamental pode ser uma maneira muito eficaz para alcançar os clientes certos com os produtos e serviços certos.

Como um plano de marketing comportamental é desenvolvido e aplicado?

Estratégias de marketing comportamentais são tipicamente promulgadas por empresas que têm acesso à tecnologia necessária. As empresas usam dados plataformas de captura automática, tais como visitas ao site, software de gestão de relacionamento com clientes (CRM) e análises de e-mail. O que os consumidores compram e por que eles compram? 

 Isto verdadeiramente é publicidade do “alvo visado”. Hoje denominado “funil de vendas”

Um artigo de fevereiro de 2012 do The New York Times discutiu uma campanha de marketing comportamental por alvo, que visa aumentar as vendas de produtos para mulheres grávidas e novas mães. Eles trabalharam bem demais. Veja:

Em uma loja alvo em Minneapolis, um homem entrou e pediu para ver o gerente. “A minha filha recebeu isso do correio!”, Ele disse, segurando cupons que empresa lhe enviara.

“Ela ainda está na escola, e você está enviando seus cupons de roupas de bebê e berços? Você está tentando incentivá-la a engravidar? “O gerente pediu desculpas perplexo, e então depois de alguns dias chamou o pai para pedir desculpas novamente.

O pai pediu desculpas também. Ele havia descoberto que sua filha já estava grávida de seis semanas.

Com essa informação, as empresas, então, criam perfis de comportamento de clientes. Quantas vezes essa pessoa visitou o site, e para quê? Em quais sites ele ou ela foi antes ou depois de visitar o seu site? 

O que mais ele ou ela procurou em um blog ou tweet? Você teve contato direto com esse cliente?

Ao criar rapidamente mensagens que têm como alvo os consumidores, a taxa de resposta irá aumentar ao longo do tempo. Como os clientes interagem mais com um site, as empresas são mais capazes de personalizar seu site baseado no comportamentos de seus clientes. 

As empresas podem construir conteúdos que sejam direcionados aos seu clientes?

Sei que parece um tanto quanto complexo esse assunto mais não é. Entender as estratégias que grandes empresas usam para conquistar cada vez mais clientes vale também para você que está começando.

Nos próximos artigos que são uma continuação deste você entenderá as técnicas usadas e assim poderá começar a usá-las também e entender até que ponto vale investir em campanhas pagas.

Espero que tenha gostado do artigo apesar de estar meio extenso, mas entender como o mercado funciona é a chave para o sucesso.

Deixe seu comentário abaixo dizendo o que achou do artigo.